Desvitalizar um dente
, consiste na remoção de todo o tecido orgânico que existe no interior do dente (polpa dentária), que não é mais que os nervos e vasos sanguíneos que nutrem e fornecem sensibilidade aos nossos dentes.

Sempre que por trauma, fratura ou cárie profunda, a lesão atravessa o esmalte e dentina -que revestem o dente- há a necessidade de recorrer à Endodontia, área dirigida ao tratamento das patologias da polpa.

Sempre que a lesão provoque dor, infeção dentária, incómodo ao mastigar, sensibilidade ao frio e quente ou abcesso, terá de ser feita uma desvitalização dentária, ou seja a remoção do nervo e vasos, desinfeção, preparação e obturação dos canais radiculares (raiz do dente).

Quando muitas vezes uma desvitalização antiga fracassou, há a necessidade de se fazer um retratamento, que consiste em remover o material colocado, nova desinfeção, preparação e obturação do dente.

Após estes tratamentos o dente terá de ser reconstruído, recuperando o seu formato original, através de uma restauração ou coroa dentária (se a lesão já for muito grande).

A desvitalização de um dente permite manter um dente em função e assim salvá-lo sem necessidade de o extrair.

Com as novas tecnologias- Endodontia mecânica- e materiais utilizados hoje em dia, a desvitalização de um dente é um método seguro de salvar o seu dente.